ADPEP promove live com a Defensora Pública Daiane dos Santos e a Vereadora Lívia Duarte sobre luta das mulheres por direitos

ADPEP promove live com a Defensora Pública Daiane dos Santos e a Vereadora Lívia Duarte sobre luta das mulheres por direitos

Na tarde desta quinta-feira (25) a ADPEP transmitiu pelo seu Instagram a live com o tema “Com ou sem pandemia, nunca fraquejamos! A luta das mulheres por direitos em plena pandemia”. Para esse bate-papo a ADPEP convidou a Defensora Pública Associada Daiane dos Santos, que é do NUGEN, e a Vereadora Lívia Duarte (PSOL), que é negra feminista e antiracista.

A live foi em alusão ao Dia Internacional da Mulher. Daiane e Livia lembraram que hoje a mulher precisa travar diversas lutas: pelo acesso à saúde, pela igualdade na divisão do trabalho com os homens, pelo fim da violência doméstica, pelo direito à educação, … “É uma luta diária pra mostrar que nós não fraquejamos”, disse Diane.

A Vereadora lembrou que os maiores impactos da covid-19 são sobre as pessoas negras, principalmente sobre as mulheres negras, porque o nível de exposição é maior entre esse público, por causa da exclusão social. “Quando falamos de raça ou de gênero, estamos falando de classe. A mulher negra é excluída do acesso ao saneamento básico, ela precisa sair para trabalhar, … Morrem mais mulheres negras porque elas são periféricas e excluídas”, disse Lívia.

“A luta pelos direitos dessa população não pode parar, a resposta imediata e os planos de recuperação a médio e longo prazos devem incluir tanto a coleta e análise de dados desagregados por raça/cor, quanto contemplar as necessidades específicas da população negra como políticas públicas considerando cor e gênero”, disse Daiane.

As participantes falaram ainda sobre as mulheres obrigadas a se reinventar nesta pandemia. Lívia frisou o exemplo das professoras, que têm de elaborar métodos para ensinar de maneira remota, das mulheres que não conseguem trabalho por serem mães e das que deixam de trabalhar por não terem creche onde deixar seus filhos.

A Defensora Pública Daiane Santos lembrou ainda o aumento de 40% nos casos de feminicídio no Pará no período da pandemia. “Precisamos ser solidárias umas com as outras, porque o sistema não será”, disse Livia.

Por fim, Daiane Santos agradeceu à ADPEP e elogiou a oportunidade de discutir temas tão relevantes. Ela encerrou destacando a atuação do NUGEN e dizendo que a Defensoria Pública está de portas abertas.